Segunda-feira, 29 de Agosto de 2005

.::Metamorfoses::. (XII)

         - Reparado em mim? – fico surpreendido.


         - Sim! O modo como olhas para mim, como me observas, como estás atento a todos os meus passos…porquê?


         - Perguntas-me algo que não tem explicação, olho para ti como olho para todas as pessoas.


         - Mentes! Sei que me viste com o vigilante da casa.


 


         Aquelas palavras caíram sobre mim, como se de uma tempestade se se tratasse, optei simplesmente por dizer a verdade:


 


         - Sim, sim é verdade! Eu vi o teu beijo e as tuas trocas de carícias com ele.


         - E, que me tens a dizer?


         - Que te tenho a dizer? A vida é tua fazes o que quiseres, não te posso recriminar, que eu saiba és uma pessoa normal, não és?


         - Sim sou e tu sabes bem disso.


         - O que te levou ser assim? Desculpa a pergunta mas desperta-me interesse!


         - Sabes nem eu sei, é algo natural que vai cá dentro!


         Sabes, passei por fases muito más, antes de aceitar a minha homossexualidade, porque já teria a minha sexualidade predefinida antes, seria hetero mas estava mal consolidada. Começava a olhar para os rapazes e eles atraíam-me, simplesmente isso e durante muito tempo foi só isso mesmo. Depois tentei descobrir como seria o meio homossexual, descobri aos poucos e cada vez mais me assustava. Acabei por ter um contacto mais próximo com alguém assim, 1 ano depois. Foi difícil dar o primeiro passo! Depois apaixonei-me por alguém que só queria o meu corpo, magoou-me imenso, foi um grande amor mesmo. E só mesmo há pouco tempo consegui interiorizar que sou Homossexual, que sinto-me bem como sou e não tenho que ter medo de nada!


 


         - Fazes bem João, acima de tudo temos que nos sentir bem como somos! Parabéns, espero que prossigas assim na tua vida!


         - Pois, pena que mais alguém que aqui anda, nesta casa, tenha medo de descobrir-se e de se assumir.


 


         Nesse momento, o Miguel deixa um prato cair. Ele já estava a escutar a conversa a algum tempo e ficou atrapalhado com a conversa do João, é notório o seu desconforto e descontentamento, na cara.


 


         - Miguel, por aqui? – Fiquei com algum receio, quanto ao que tenha ouvido da nossa conversa.


(…)

publicado por R.M. às 22:55
link | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Para não perder o Blog

. Fim

. (Re)Escrever o Verbo Amar

. Deixo-te escolher...

. Olhar

. Xeque-Mate da vida...

. Noite...

. Sonho

. Anjo das Asas Negras

. Não há fuga

.arquivos

. Agosto 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub