Segunda-feira, 14 de Novembro de 2005

(Re)Escrever o Verbo Amar

sozinho.jpg


           


         Hoje, abro o livro da minha vida, infelizmente foi só hoje! Depois da ultima folha, que muito deixei em branco, escrevi, pouco mais do que meia página. Meia página que muito se tem para contar mas que incrivelmente me prende ao que anteriormente se passou. Debruço-me sobre o livro e é impossível conter as lágrimas, que caem sobre a última página apagando o que ali se passou.


         Não sinto nada, é incrível. Parece que tudo o que foi apagado, de nada tinha interesse, excepto as duas últimas linhas, que insisto em juntar ao espaço da folha anterior. Num espaço em que o verbo AMAR se escrevia, na sua mais bonita forma, no presente, sei que tudo o que está para trás já mudou, o tempo encarregasse de o escrever no tempo do Passado. Com muito esforço e persistência, vou apagar um a um desses verbos e vou torná-los parte do nosso dia-a-dia.


         Mas era tão bom que os verbos se pudessem conjugar simplesmente no singular. O meu querer tem que ser o teu querer, caso contrário fico sem poder escrever a história da minha vida, porque vivo um presente que não existe, se não estiveres, aqui a meu lado.


 


 


         [Cheguei a um limite, um limite de mim próprio, que nunca pensei atingir. Tenho-me mostrado com alguma coerência, sempre seguindo a linha da minha razão. Mas neste momento, e de um dia para o outro, com a certeza que perdi alguém que sentia algo ainda, mas que a minha teimosia não me deixou aperceber, perco a razão e a dor que está cá dentro, parece que sou facas que me passam a alma.


         Sinto que se não consigo, por mim próprio, mudar os verbos que constituem a NOSSA vida, não consigo escrever mais uma letra para ela.


         O meu Blog, faz parte da minha vida! E é chorando e com uma imensa dor que digo o que julgava estar distante, não um adeus mas um até já!


Prometo que farei com que esta partida, seja breve! E sempre que puder passo aqui, deixo novidades e visito o cantinho de vocês que tanto adoro.


         Tenho que estar bem, só preciso de um tempo!


         Até Breve, minha companhia!]

publicado por R.M. às 15:56
link do post | comentar | favorito
|
34 comentários:
De Anjinho a 14 de Novembro de 2005 às 20:35
"ás vezes é preciso deixar as coisas que tanto gostamos para depois lhes dar-mos o devido valor", isto é bem verdade POZINHOS mas sabes às vezes é tarde demais! E no meu caso, mais tarde não podia ser!
Só me apercebi o quando gostava daquela pessoa, só quando a perdi de vez e isso magoa-me ainda mais. Cego pela minha teimosia perdi tudo! Perdi uma pessoa que me amou muito!
Por outro lado, eu não vou conseguir ficar muito longe do meu blog, eu volto rápido! A partir de amanhã vou fazer umas visitas por aí e deposi venho cá para descarregar a minha raiva, a minha extrema dor e eu a pensar que estava tudo bem, apenas tinhas deixado o caso de lado, bastou a presença dessa pessoa de novo ao meu pé para me lembrar que ainda Amo mas vou terminar sozinho, porque as coisas mudam!


De Pozinhos de Perlimpimpim a 14 de Novembro de 2005 às 20:09
Vou ter saudades das tuas palavras doces e singelas, mas respeito o teu até já, ás vezes é preciso deixar as coisas que tanto gostamos para depois lhes dar-mos o devido valor...vai anjinho, mas volta, mais brilhante e com as asas mais soltas...voarei para aqui á procura de noticias tuas. Beijos Mágicos


De ana sofia a 14 de Novembro de 2005 às 19:23
Só recentemente a vaguear pelo mundo dos blogs encontrei o teu cantinho...simplesmente magnifico...as tuas palavras penetraram em mim de uma forma profunda e alcançaram um significado único...deste espressão a tudo aquilo porque eu já passei e em muitas coisas as nossas histórias foram idênticas...as partidas da vida, os sobressaltos do coração, as vitórias aparentes aos olhos dos outros que o nosso "eu" tornava em derrotas...as fases más que tendem a permanecer por mais tempo que queremos, as coisas que acontecem que acham,os que não merecemos..
mas, uma coisa é certa, nem em tudo a vida é injusta...por mais tempo que passe, por mais fases más eu acredito que bons momentos existem, que as vitórias vão chegar e que os anos nos vão ensuinamndo a transformar as derrotas em futuras vitórias...
Falas num tempo, um tempo ou uma pausa é bem necessário, mas cuidado não deixes alastrar demasiado tempo essa pausa porque podes não encontrar o que desejas quando mais esperas, mas talvez pk o que desejas não seja o que precisas...nunca deixes de sonhar, não deixes de marcar a diferença com as tuas palavras magnificas e força nesta caminhada!
prometo fikar atenta ao teu blog e desejando um regresso fantástico para ti***


De Paulo a 14 de Novembro de 2005 às 17:18
Olá Anjinho:-)
Estás a precisar de uma pequena pausa? Pois seja...encontra-te e volta alegre e sonhador como sempre foste:-) Estamos todos contigo fazendo figas pela tua felicidade. Força amiguinho:-)
um forte abraço:-)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Para não perder o Blog

. Fim

. (Re)Escrever o Verbo Amar

. Deixo-te escolher...

. Olhar

. Xeque-Mate da vida...

. Noite...

. Sonho

. Anjo das Asas Negras

. Não há fuga

.arquivos

. Agosto 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds