Terça-feira, 16 de Novembro de 2004

Porquê?...

   Tenho 16 anos, 16 longos anos em que as memórias más sobrepõe-se às boas, 16 anos em que vejo a minha família demoronar-se em torno de um problema que afecta a sociedade, 16 anos em que só me apetece fazer um "delete" da minha memória, 16 anos que fizeram-me crescer à força...


...tudo começou quando o meu pai começou a beber, parece que para ele a vida sem bebida deixava de fazer sentido. Ele começava por chegar tarde a casa aos fins de semana, dizia à minha mãe que ia beber uns copos com os amigos.


A início não ligavamos muito mas quando começou a tornar-se sistema, começava a tremer só de pensar que naquele dia chegaria alcoolizado a casa, e começaria a discutir com a minha mãe, sim a discutir com a minha mãe. Por diversas vezes, quando já estava na cama, ele ia para o quarto com a minha mãe e trancava-a lá dentro, discutiam e por vezes até a batia. Mas porquê!? Porque é que a minha mãe nunca fez nada contra ele, porque é que ela nunca apresentou uma unica queixa sobre ele. A minha mãe sempre viveu do casamento e para o casamento, fazia tudo para fazer do seu lar um local feliz, mesmo que isso custasse a sua felicidade.


   Aqueles fins de semana tornaram-se em todos os dias, e quase todos os dias haviam discusões em casa. Contudo eu cresci, tenho 16 anos e aprendi a enfrentar os problemas e aprendi a não ficar no meu quarto enquanto a minha mãe era maltratada pelo meu pai. Um dia entrei pelo quarto e ele estava com o cinto na mão, e ia bater na minha mãe, mais uma vez! Mas desta vez eu não permiti, empurei-o, depois trouxe a minha mãe para o meu quarto e ficamos lá! Nessa noite, dormimos já tarde, ficamos a conversa, e expliquei-lhe que ela não tinha que ter vergonha, da situação em que vivia e que devia ter falado comigo e claro pedi-lhe desculpa por demorar tanto tempo em dar este passo que a tiraria daquela situação. Acordamos também que iamos terminar com esta situação, no dia seguinte iriamos ao advogado e pedir o divórcio.


O caso arrastou-se por mais 5 meses, findo este tempo o tribunal decidiu que o pai teria que sair da casa onde estavam...


foi dificil viver sem um pai... mas hoje, olhando para trás, vendo as coisas que a minha mãe passou à custa de um copo com os amigos, sinto raiva...


...uma raiva que me consome.


Acima de tudo aprendi uma nova lição, mais uma: Nunca posso ter medo de afirmar-me como Ser Humano com o mesmo direito à vida.

publicado por R.M. às 22:26
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Miss Devil a 20 de Novembro de 2004 às 14:53
a vida de cada pessoa esconde mt coisa, mt coisa por ainda descobrir e mts outras k nunca serao descobertas.
nem sempre a decisao a tomar é a mais facil.
16 anos de puro inferno k por vezes ñ conseguimos alterar de maneira nenhuma...


De jose fernandes a 16 de Novembro de 2004 às 23:39
uma historia muito triste, mas a vida è assim , muito sofrimento na juventudo , e as recodações não são nada boas ,uns melhores que outros ok comprimentos


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Para não perder o Blog

. Fim

. (Re)Escrever o Verbo Amar

. Deixo-te escolher...

. Olhar

. Xeque-Mate da vida...

. Noite...

. Sonho

. Anjo das Asas Negras

. Não há fuga

.arquivos

. Agosto 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds