Sábado, 19 de Novembro de 2005

Fim

         Todo o livro tem um início e um fim, a minha vida não vai para além de um livro!


         É difícil, neste momento agradecer a todos vós, que tanto me acarinharam neste tempo de vida do meu blog, em que nele coloquei de mim, dei mesmo de mim.


         Há acontecimentos na vida que fazem com que muitas coisas deixem de fazer sentido e neste momento para mim, o meu blog deixa de fazer sentido, porque o meu blog era o meu amor e hoje ele foi destruído! Vou deixar a pessoa que amo ser feliz com o seu actual companheiro e o meu amor dia para dia TEM QUE DEIXAR DE EXISTIR. Antes de terminar, tenho que dizer que lutei, dei de mim para voltar a conquistar mas nada valeu a pena! Nunca desistam dos vossos sonhos, eu deixo este porque essa pediu-me e não posso desrespeitar.


         NUNCA DESISTAM, ATÉ CONSEGUIREM!


 


         Adeus… este é mesmo para sempre!


         É impossível indicar nomes, mas cada um de vós sabe muito bem a quem me refiro! Adorei estar aqui! Novo blog? Se tiver força sim, um dia mais tarde! Não digo que será quando amar, embora pareça um certo cliché, não sei se vou conseguir voltar a amar! Não sei se vou querer voltar a amar! Este amor magoou-me muito e deixa uma marca em mim, muito grande. Penso que será difícil, saturar esta ferida.


 


         Acima de tudo quero-lhe dizer uma palavra: Amo-te…


 


E este é o meu FIM

publicado por R.M. às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (62) | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Novembro de 2005

(Re)Escrever o Verbo Amar

sozinho.jpg


           


         Hoje, abro o livro da minha vida, infelizmente foi só hoje! Depois da ultima folha, que muito deixei em branco, escrevi, pouco mais do que meia página. Meia página que muito se tem para contar mas que incrivelmente me prende ao que anteriormente se passou. Debruço-me sobre o livro e é impossível conter as lágrimas, que caem sobre a última página apagando o que ali se passou.


         Não sinto nada, é incrível. Parece que tudo o que foi apagado, de nada tinha interesse, excepto as duas últimas linhas, que insisto em juntar ao espaço da folha anterior. Num espaço em que o verbo AMAR se escrevia, na sua mais bonita forma, no presente, sei que tudo o que está para trás já mudou, o tempo encarregasse de o escrever no tempo do Passado. Com muito esforço e persistência, vou apagar um a um desses verbos e vou torná-los parte do nosso dia-a-dia.


         Mas era tão bom que os verbos se pudessem conjugar simplesmente no singular. O meu querer tem que ser o teu querer, caso contrário fico sem poder escrever a história da minha vida, porque vivo um presente que não existe, se não estiveres, aqui a meu lado.


 


 


         [Cheguei a um limite, um limite de mim próprio, que nunca pensei atingir. Tenho-me mostrado com alguma coerência, sempre seguindo a linha da minha razão. Mas neste momento, e de um dia para o outro, com a certeza que perdi alguém que sentia algo ainda, mas que a minha teimosia não me deixou aperceber, perco a razão e a dor que está cá dentro, parece que sou facas que me passam a alma.


         Sinto que se não consigo, por mim próprio, mudar os verbos que constituem a NOSSA vida, não consigo escrever mais uma letra para ela.


         O meu Blog, faz parte da minha vida! E é chorando e com uma imensa dor que digo o que julgava estar distante, não um adeus mas um até já!


Prometo que farei com que esta partida, seja breve! E sempre que puder passo aqui, deixo novidades e visito o cantinho de vocês que tanto adoro.


         Tenho que estar bem, só preciso de um tempo!


         Até Breve, minha companhia!]

publicado por R.M. às 15:56
link do post | comentar | ver comentários (34) | favorito
|
Sábado, 12 de Novembro de 2005

Deixo-te escolher...

sozinho.jpg</a>


         Quem disse que o tempo era o melhor para tudo?


Pois é, o tempo nem sempre consegue aquilo que aguardamos. Por isso, e hoje, passados alguns anos de te ter perdido, continuo sentindo que te estou perdendo. Deves estar a perguntar porquê? Pois olha, nem eu sei! Nem sei o que se passa comigo, é tudo muito estranho, sentir de novo toda esta situação que me faz perder os sentidos, ao contrário do que se possa achar, assusta-me. Assusta-me pensar que quero-te, desejo-te e anseio por partilhar momentos a dois, os nossos momentos; a nossa vida.


Mas temo, ainda mais o facto deste querer não ser uma doce sinfonia partilhada a dois, sendo assim fruto da minha imaginação e que me venha a magoar.


Quero-te! Mas tal como te conheci…

publicado por R.M. às 01:32
link do post | comentar | ver comentários (29) | favorito
|
Domingo, 6 de Novembro de 2005

Olhar

Olhar.jpg</a>


         Ainda me lembro, hoje, aquele olhar que cruzaste com o meu. Fiquei completamente enfeitiçado, o meu corpo pedia ardentemente pelo teu mas não sabia onde te encontrar.


         Decido sair para a rua à procura de um outro olhar, um olhar cheio de calor.


         Ai!!! Como eu desejo poder tocar-te! Sentir o quão macio, são os teus doces cabelos. Afinal, a cada noite que sonhava contigo, sentia-te o cheiro, cada contorno da tua face e cada pedacinho da tua boca.


         Olhar… Foi através desse olhar que senti o verdadeiro significado da Magia – Paixão e é através dele que ainda hoje, continuo a te procurar.


         Simplesmente, por um olhar!

publicado por R.M. às 01:43
link do post | comentar | ver comentários (48) | favorito
|
Terça-feira, 1 de Novembro de 2005

Xeque-Mate da vida...

XequeMate.jpg

</a>

         A minha vida, tem ganho nestes últimos tempos um ritmo alucinante. Algo imparável, mesmo!


         Eis que paro para pensar e vejo que por mais que faça, mais vejo que me falta.


         Por mais depressa que eu ande a vida corre atrás de mim e vai deitando abaixo o que vou construindo.


         O pior é que a vida, ninguém pode parar e chego à conclusão que tudo o que construo é por breves instantes. É por momentos que acabo por não os desfrutar como deveria ser.


         Mas, chega ao dia que quero poder apreciar uma boa companhia, através de uma construção sólida e acomodo-me junto. Espero, impacientemente, que a vida chegue e leve tudo pela frente mas não chegou. E pela primeira vez, na vida, consegui aproveitar uma construção minha no seu pleno.


         Mal sabia eu, que a vida…esta vida traiçoeira, preparava um plano para me derrubar e quando menos esperava, quando estava confiante de mim, ela põe fim ao jogo e acabo ali derrubado…


XEQUE-MATE!

publicado por R.M. às 01:06
link do post | comentar | ver comentários (45) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Para não perder o Blog

. Fim

. (Re)Escrever o Verbo Amar

. Deixo-te escolher...

. Olhar

. Xeque-Mate da vida...

. Noite...

. Sonho

. Anjo das Asas Negras

. Não há fuga

.arquivos

. Agosto 2006

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds